Dez 21

Enquanto houver unidade dos trabalhadores e a organização em torno do sindicato de classe, filiando-se e lutando por seus direitos, os gráficos continuarão resistindo a implantação da lei da reforma trabalhista. É o que está ocorrendo com os profissionais da gráfica Emepê, em Vinhedo. Por conta disso, o Sindigráficos e os gráficos continuam negociando um novo acordo coletivo de trabalho com a empresa. A previsão é que seja concluído em janeiro. A jornada de trabalho menor já foi definida. Falta garantir no acordo a inclusão da homologação da rescisão do contrato de trabalho no sindicato, a fim da entidade continuar fiscalizando tudo. Tal obrigatoriedade foi flexibilizada pela reforma trabalhista. Fragilizou ainda o pagamento da hora-extra, sendo necessário que tais garantias constem no acordo para proteger os gráficos até contra banco de horas. LEIA MAIS 

FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Dez 20

Gráfico deve receber R$ 52,20 por cada dia de atraso do 13º salário

Nesta quarta-feira (20), todos os trabalhadores das gráficas no estado devem receber a 2ª parcela do 13º salário. O prazo está definido pela lei trabalhista. E, em função da luta da categoria na campanha salarial, a empresa continua obrigada a pagar uma multa de R$ 52,20 por cada dia que atrasar o pagamento. A multa é obrigatória. Ela continua por mais um ano na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), apesar da pressão patronal para retirá-la junto com a data histórica do pagamento salarial, que deve ocorrer todo dia 5, devendo pagar a mesma multa se atrasar.

Estes e mais direitos continuam na CCT. A fim de que sejam cumpridos, é preciso que cada gráfico denuncie ao Sindicato da Classe na região (STIG) qualquer sonegação, neste caso, especialmente do 13º salário. "Embora muitas empresas tentam atrasar e se livrar depois das multas, a estratégia tem dado errado sistematicamente", fala Leonardo Del Roy, presidente da Federação Paulista dos Gráficos (Ftigesp). Na Justiça, as multas têm sido cobradas, junto a outros passivos patronais lá cobrados. E, por ser um direito na CCT, a sentença é favorável para o trabalhador.

Dessa forma, o dirigente orienta as empresas a não atrasar o 13º e nem o salário mensal, pois a multa diária é garantida pela CCT. Aos gráficos, cabe apenas fazer a denúncia ao seu STIG para que cobre do patrão, sendo mais coerente pagar de imediato, ou aumentar o passivo quando o caso chegar depois na Justiça. "Todavia, haverá de pagar porque está na CCT, tendo força de lei, devendo ser respeitada de qualquer forma", diz Leandro Rodrigues, secretário-geral da Ftigesp e presidente do STIG Jundiaí. Na região, a cobrança é feita direto na empresa após denúncia.

A multa também será aplicada se a empresa não pagou da 1ª parcela do 13º salário em 30 de novembro - prazo final definido pela lei trabalhista. A cada dia de atraso, deve pagar R$ 52,20, segundo trata a Convenção. "Não deixe de denunciar se houve atraso na 1ª parcela e informe se a gráfica não pagar o restante do 13º salário nesta quarta", fala Del Roy.

No geral, a Ftigesp explica que essas multas contidas na CCT tem um caráter moralizador das indústrias gráficas no estado de São Paulo. Tem por finalidade evitar que alguns patrões tentam prejudicar seus gráficos, enquanto a maioria respeita os dias dos respectivos pagamentos salarial e do 13º salário. "A manutenção deste direito na convenção protege os empregados e evita a sonegação por parte de empresas", frisa Del Roy. Além dessa multa, existe outra multa financeira que é aplicada quando a empresa descumpre qualquer uma das dezenas de cláusulas da CCT.

written by FTIGESP

Dez 19

O grande número de sindicalizados e o histórico de luta sindical em prol dos direitos dos 180 gráficos da Nova Página, em Cajamar, acabam de obter resultados positivos outra vez, mesmo com a reforma trabalhista em vigor. A jornada semanal de trabalho continuará sendo reduzida em períodos dos próximos dois anos, sem prejuízo salarial. O sindicato da classe (Sindigráficos) e os funcionários acabam de garantir tal direito por conta da recente renovação de um Acordo Coletivo de Trabalho. Além disso, os gráficos, organizados em torno do sindicato, ainda continuarão lutando para barrar a aplicação da lei da reforma sobre direitos e salário. O acordo foi aprovado na última semana por todos os funcionários. LEIA MAIS 

FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Dez 19

A função primordial de nosso Sindicato é defender os interesses e direitos da categoria gráfica. Somos uma ferramenta essencial para os trabalhadores que buscam valorização, reconhecimento e, anualmente, a manutenção dos direitos conquistados e ganhos salariais reais, principalmente agora, com as medidas da Reforma Trabalhista. Para cumprirmos nosso objetivo, é essencial que sejamos uma entidade forte! Por isso, a união de vocês é primordial para nós! Ficamos cada vez mais forte quando temos mais filiados, pois lutando sozinho a trajetória pela conquista de direitos e benefícios é mais difícil, já que enfrentamos diversos problemas e injustiças do patronal. LEIA MAIS 

FONTE: STIG BARUERI/OSASCO

written by FTIGESP

Dez 19

Atençao companheiros, fechamos com mais uma empresa, dessa vez foi com a RZKWR 3% de reajuste e garantia total da Convenção coletiva.

FONTE: STIG GUARULHOS 

written by FTIGESP

Ir para página  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  última