Dez 07

Infelizmente os trabalhadores e trabalhadoras continuam sem uma definição de reajuste e todas às cláusulas da Convenção Coletiva. Com a nova legislação trabalhista em vigor desde o dia 11 de novembro o patronato continua tentando a retirada de direitos. Agora se confirma o que sempre os sindicatos denunciavam aos trabalhadores: às mudanças na lei vão retirar diretos; agora a prova está evidente. A promessa de modernidade passada pelo governo golpista e a mídia manipuladora começa a apresentar sua face cruel; onde a ganância em acumular riquezas às custas da precarização de direitos está começando. O sindicato continuará defendendo o trabalhador, não sabemos até quando conseguiremos, por que apesar de toda a história sindical, grande maioria dos trabalhadores não participa de seu sindicato. LEIA MAIS 

FONTE: STIG TAUBATÉ 

written by FTIGESP

Dez 07

written by FTIGESP

Dez 07

"Não fale de crise, trabalhe". Essa foi a frase usada por Temer quando tomou a presidência do Brasil em 2016. Desde lá, as coisas só pioram contra o trabalhador com a perda de direitos e até da aposentadoria. Estar trabalhando não é o suficiente se não há direitos. O crescimento produtivo de diversas empresas neste período mostra que nem todas estão em crise, mas só o funcionário. A gráfica Helius, em Valinhos, é um caso emblemático. Embora cresça, abrindo até uma filial na mesma cidade, sonega vários direitos. Acumula férias e não registra a carteira de trabalho. E ainda não paga todos direitos do gráfico quando o demite. A empresa superou até a reforma trabalhista do Temer em nocividade contra os direitos dos gráficos, pois a nova lei injusta garante as férias por ano, porém permite dividi-la em até três vezes. "A lei também deixa contratos de trabalho precários, mas exige que sejam todos registrados", revela alguns desses absurdos o advogado do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região (Sindigráficos), Luis Carlos Laurindo. A gráfica Hélius, de forma ilegal, consegue piorar o que já é bem terrível, acumulando três férias anuais sem concedê-las e contrata empregados sem registrá-los na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). LEIA MAIS 

FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Dez 07

A equipe Out Label levou ouro para casa na Grande Final do II Campeonato de Society Unificado dos Gráficos. Na disputa, realizada no último domingo (3), a equipe Valid foi a vice-campeã e o bronze ficou para o time da Indemetal. João Ferreira, presidente do STIG Sorocaba parabeniza a todos os trabalhadores que participaram do torneio com muita disposição e espírito de equipe. LEIA MAIS 

FONTE: STIG SOROCABA

written by FTIGESP

Dez 06

Apesar de novembro, mês marcado pela campanha anual de prevenção contra o câncer de próstata, já ter terminado, o cuidado com a saúde do homem continua em qualquer época do ano. Neste sentido, o Sindicato dos Gráficos da Baixada Santista (STIG), entidade filiada à Federação paulista da categoria (Ftigesp), realizou a 2ª Campanha Novembro Azul. A maioria dos gráficos da região foram visitados nas suas empresas por Jorge Caetano, que é o presidente do Sindicato, conscientizando-os e levando as informações sobre os riscos que os homens estão sujeitos.

"Os gráficos precisam quebrar o tabu do preconceito sobre a realização do exame de toque. Temos que cuidar mais de nossa saúde e seguir o exemplo das mulheres, que, embora com a vida mais atribulada que a nossa, procuram regularmente os médicos para os exames preventivos, com a realização de vários bem mais constrangedores", fala Caetano. Ele orienta os trabalhadores para procurarem o médico especialista em qualquer mês do ano. O importante continua sendo a prevenção do mal.

A novidade este ano durante a Campanha Novembro Azul do STIG foi ampliar a conscientização de homens para além da categoria gráfica. O sindicato levou as informações também para a comunidade - localidade onde vive a classe operária e o movimento sindical precisa resgatar sua atuação nas áreas onde residem os trabalhadores. Desse modo, o STIG conversou na última semana com moradores do bairro Jardim Dolores, na periferia da cidade de São Vicente, na Associação Família de Deus.

Na ocasião, Caetano aproveitou a oportunidade e a proximidade dos moradores de São Vicente, que é um dos municípios de abrangência de atuação do STIG, para falar de outro assunto que merece total atenção da população da região. O sindicalista abordou sobre a nova lei federal (13467/2017), que validou a reforma trabalhista, mudando mais de 100 artigos da CLT em prejuízo da classe trabalhadora, sendo necessário que todos estejam informados de modo a resistir a injusta implantação.

Outra terrível reforma proposta pelo atual governo, a da Previdência, foi também exposta rapidamente pelo sindicato na periferia de São Vicente. "Enquanto Temer e seus congressistas aliados insistirem em votar uma reforma previdenciária, que em nosso entendimento é prejudicial aos empregados, como esta sendo a reforma trabalhista, precisamos reagir", concluiu Caetano, bastante satisfeito com toda a programação realizada na 2ª Campanha Novembro Azul do Sindicato dos Gráficos de Santos.

written by FTIGESP

Ir para página início  2 3 4 5 6 7 8 9 10 11  última