Nov 23

Sindicato tem tradição de luta, mas será preciso redobrar a atuação junto dos gráficos nas 300 empresas para enfrentar desafios do novo período

Na última sexta-feira (9), após dois dias de eleição junto aos gráficos nas empresas da região, a classe elegeu o gráfico Joaquim Oliveira pra voltar à presidência do Sindicato (STIG) da categoria em Barueri e Osasco. O sindicalista, que ocupou o mesmo cargo de 2006 a 2014, retorna ao posto em substituição do atual presidente Álvaro Ferreira, que será o secretário do órgão, ao lado de Aulerino Silva (vice-presidente), Cleberson Machado (2º secretário), João Lopes (tesoureiro), Eliane Campos (tes. Adjunta), Lourenço da Silva (diretor social) e mais 13 dirigentes novos e antigos que estarão todos responsáveis para defender a classe. O novo mandato, que terá duração até 2024, só começará no próximo ano a partir de 1º de maio.

Barueri e Osasco é uma das regiões paulistas onde mais cresceu o setor gráfico. Há cerca de 300 empresas e aproximadamente 12 mil gráficos. A região com maior número de trabalhadores da categoria depois da capital do estado. Além disso, tem uma característica diferenciada do segmento gráfico nas demais regiões do estado e do Brasil. Ao invés de concentrar um grande número de micro e pequenas empresas com até 10 gráficos, cerca de 57% das empresas em Barueri, Osasco e entorno são grandes. Há quase uma dezena de gráficas com mais de mil trabalhadores cada.

Esta realidade já é bastante conhecida de Joaquim, Álvaro e toda direção sindical. "O STIG tem toda tradição de luta, mas frente os desafios contra a classe trabalhadora em razão da reforma trabalhista do governo Temer e retrocesso maior com o novo governo eleito, que anuncia mais ataques, o sindicato precisará redobrar sua postura e atuação junto da categoria", diz Leonardo Del Roy, presidente da Federação Paulista da classe, órgão do qual o STIG Barueri e filiados. Del Roy aproveitou para parabenizar a nova direção do sindicato eleição e Joaquim pela retomada à presidência.

Joaquim, que inclusive quando foi presidente liderou um grande processo de luta e conquistas para os trabalhadores, revertendo terceirizações nas empresas e reduzindo a jornada de trabalho da maioria da classe através de Acordos Coletivos de Trabalho por gráficas, tem conhecimento e clareza de que não resta outro caminho para o sindicalismo senão a intensificação da ação de base junto com os gráficos nas empresa em prol dos direitos.

"O foco de nossa ação sindical será trabalho de base, presença com os gráficos nas empresas. Apostaremos no trabalho de conscientização e sindicalização dos trabalhadores", adiantou Joaquim. Para Del Roy, um dos incentivadores/fundadores do STIG Barueri, o futuro do sindicalismo dependerá justamente dessa retomada redobrada junto à base da classe. Desse modo, o STIG está no caminho certo para superação dos desafios. Contudo, adianta que será preciso muita unidade e responsabilidade dos antigos e novos sindicalistas e da classe pra enfrentarem o novo período. Del Roy também espera contar com o sindicato para dar sustentação à Ftigesp nas negociações coletivas anuais com o patronal nas campanhas em defesa do emprego, salários, direitos e condições laborais da classe.

Nova direção do STIG

A nova direção do STIG Barueri/Osasco também é composta por Carlos Freitas, Renata Bueno, Marcel Silva, Marcos de Santana, Anderson de Melo, Cláudio da Silva e Valdenor Souza, todos na suplência da direção. E ainda Luiz de Souza, Jorge Nascimento e José da Silva no Conselho Fiscal, tendo como suplentes Bruno da Silva, Jamiro de Almeida e Marcos dos Santos. Todos eleitos durante o pleito da categoria na última semana.

written by FTIGESP

Nov 22

A fim de evitar ajuizamento de falhas trabalhistas que voltaram a surgir na gráfica Horizonte, como o assédio moral e a compensação ilegal de dias das férias dos funcionários, já registradas no passado pelo Ministério do Trabalho e então reconhecidas pela empresa, a dona da gráfica se reuniu agora com o Sindicato da classe (Sindgraficos) e garantiu que corrigirá as irregularidades. A entidade da categoria também chamou a atenção da proprietária para o atual não recolhimento do FGTS dos trabalhadores. LEIA MAIS 
FONTE: STIG JUNDIAÍ 

written by FTIGESP

Nov 22

Os anos de 2017 e 2018 foram marcados por uma ampla discussão das Centrais Sindicais em torno da reforma da Previdência Social e seus impactos na vida do brasileiros e brasileiras. Após uma longa discussão, e de forma consensual, elas destacaram as principais referências para nortear esse debate. Em cada uma dessas referências, foram elencados os pontos a serem preservados e/ou implementados para garantir aos trabalhadores e trabalhadoras uma previdência social pública, universal, sem privilégios e capaz de ampliar a proteção social. LEIA MAIS 


FONTE: STIG BARUERI/OSASCO

written by FTIGESP

Nov 22

O acordo foi fechado no dia 14 de novembro retroativo a 1º de outubro que é a data base da categoria. Além do reajuste salarial de 3,97% que corrige o salário de todos os empregados da empresa, foi mantido também o valor de R$840,00 a título de Participação nos Lucros e Resultados da Empresa. O Piso Salarial Normativo que atende os trabalhadores com até um ano na empresa com a correção passa a valer R$1.267,85. Já o Piso Salarial Funcional que é para os trabalhadores com mais de um ano na função foi corrigido para R$1.458,03. Também foi mantida a Convenção Coletiva anterior. LEIA MAIS 


FONTE: STIG SANTOS 

written by FTIGESP

Nov 21

Direito garantido em 22 municípios onde há unidades de Poupa Tempo

No início do mês, após algumas negociações preliminares, o Sindicato dos Gráficos (STIG) em Araçatuba conseguiu concretizar novo Acordo Coletivo de Trabalho para garantir uma espécie de 14º salário (PLR) para todos os gráficos nas unidades do Poupa Tempo na região. Na reunião do último dia 8, com a comissão de trabalhadores e representantes da Valid, empresa terceirizada da mão de obra nos Poupa Tempo, ficou então definido que os empregados receberão a PLR em março de 2019.

Pelo novo Acordo Coletivo de Trabalho, o valor da PLR variará a depender das metas atingidas pelos funcionários. Contudo, o menor valor não pode ser inferior ao definido por outra regra geral dos gráficos de todo o estado, delineados pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), aprovada entre a Federação Paulista da classe (Ftigesp), STIGs e o sindicato patronal.

O bônus financeiro (PLR) é obrigatório nos Poupa Tempo de 22 cidades da região de Araçatuba, como foi definida na reunião entre as partes. São elas: Araçatuba, Birigui, Penápolis, Coroados, Glicério, Buritama, Bilac, Guararapes, Bento de Abreu, Valparaíso, Lavínia, Itapura, Mirandópolis, Guaraçai, Murutinga do Sul, Andradina, Castilho, Pereira Barreto, Ilha Solteira, Rinópolis, Adamantina, Dracena, Oswaldo Cruz e Pacaembu.

O resultado dessa positiva garantia de um importante benefício financeiro para os gráficos das unidades dos Poupa Tempo deriva da atuação direta do STIG e da Ftigiesp. Na região de Araçatuba, a negociação foi realizada pelo presidente do STIG local, José Lima, e pelo tesoureiro Wagner Lima.

written by FTIGESP

Ir para página  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  última